Relatos de uma Minhoca de sandália e meia branca

terça-feira, janeiro 30, 2007

histórias bonitas, como a da carta de conducao

situacao: Bola em 2004 é apanhado pela policia em cima da sua bicicleta, embrigado, em plena estrada. Eles perguntam-lhe pela luz traseira da bicicleta e ele responde-lhes mal, chamando-lhes coisas feias na ordem de seus bacalhaus secos, vao chatear a vossa mae. Bola fica sem carta. Bola paga mais de mil euros de multa. Minhoca comeca a tirar a carta e felizmente, Bola recupera a sua pelo meio do processo sem ter de regressar à casa de partida recebendo dois mil escudos, o que, numa liguagem nao-monopólio (marca registada) quer dizer, sem passar pela escola de conducao, a casa de partida. Ou a prisao?

Eis que o relatório chegou hoje com uma descricao detalhada do senhor que o ouviu quando ele foi requerer a carta, ha duas semanas. A paginas tantas... e eram mesmo tantas, quase 20...

O senhor Bola afirmou que desde entao a sua vida sofreu bastantes alteracoes e que actualmente é uma pessoa feliz, sem quaisquer frustracoes que o pudessem levar a repetir o que aconteceu aos dezanove dias do mes de Julho de 2004. blab la bla…insultando o agente da autoridade... se tiver aí 300 euros a gente resolve já isso.... bla bla bla O senhor Bola agora é um homem casado e ocupa um cargo de responsabilidade. Entre outras coisas, a sua esposa descrevo-o como um homem de poucas emocoes… COMO É QUE É? A esposa sou eu, nao? Eu nunca lhe disse que ele nao tinha emocoes. Ele pensa que eu acho que ele nao tem emocoes?
ENTAO PENSA MESMO BEM! E perspicaz que só ele, pra descobrir sozinho!
High-five, Bola! (hoje dormes no vao das escadas que é pra aprenderes a nao andar a falar da tua mulher no servico publico)

segunda-feira, janeiro 29, 2007

minhocas também teem ataque de nervos

Pronto, tenho de admitir que é verdade. Ando ha dois meses a alimentar uma obsessao em mudar de emprego, por estar farta daquele que tenho. Isto num contexto de minhocas dá um resultado mais ou menos assim: esta maçã ja esta tao esburacada que nao ha mais nada para esburacar. Bem vistas as coisas, esta maçã está é podre e há por aqui muitas minhocas feias que nao me interessam. Entre os motivos que me empurram para outras paragens, temos o facto de me terem prometido um aumento que nao me deram. Há meses. Fui ficando farta com pequenas coisas e, quando dei por mim, comecou a ser-me dificil trabalhar bem-disposta como de costume. Já para nao falar nas taxas de divorcio associadas a casais que trabalham na mesma empresa. Para onde foi aquele brilho nos olhos dele de quando me via aproximar da sua secretária? E me chamava nomes doces? Pois.

Além disso,o café aqui nao é bom, os homens sao feios, nao ha cantina e eu dou muito valor à comida.
Mandei cerca de oito candidaturas no mes de Dezembro e dessas oito, a única empresa que me respondeu de forma positiva foi a que mais me interessava. Aliás, a unica que verdadeiramente me interessava. Parecia um daqueles sonhos estranhos que temos de vez em quando. Em que ouvimos anjos a tocar harpas e aquela luz branca tao pura.
Para a coisa se tornar ainda mais extrema, marcaram-me uma entrevista para quatro semanas depois. Para me darem tempo para roer as unhas todas do corpo, arrancar cabelos e tamborilar tanto com os dedos, a ponto de perder a sensibilidade nas pontas, bem como a capacidade de mover as minhas falangetas.
O tempo foi passando, empinei a história toda da empresa desde há 200 anos pra cá, saquei da net o currículo das pessoas VIP, fiz um rascunho das tres coisas nas quais sou boa e das tres coisas nas quais nao sou, o que me criou problemas pois nao consegui encontrar tantas menos boas. A par disso, criei contacto com uma colega que tinha conhecimentos (interesseira que só eu) dentro das paredes da empresa dos meus sonhos. Fiquei a saber que precisam de uma falante nativa (basicamente uma pocahontas como eu ) da Língua Portuguesa. Comprei um wonderbra, uma mini-saia e um baton vermelho-sangue. Acho que estou preparada para a entrevista a tomar lugar esta semana, mas hoje apercebi-me que dadas as minhas tremuras nas maos, a rapidez com que o meu coracao bate sempre que penso nisso, é possível que mal eu entre no gabinete da pessoa que me vai entrevistar, atirar-me ao chao a chorar, a dizer tragam-me já a minha mae e um pacote de bolachas de água e sal!! A chorar baba e ranho, perceba-se.
Portanto, que fique registado. Se ate ao fds, a vossa minhoca nao se pronunciar, foi porque cedeu à moda de suicídios deste país e atirou-se pra linha de comboio. Dum ICE (intercity express, que nos levam metade do ordenado com um bilhete só de ida), que andam mais depressa.

domingo, janeiro 28, 2007

amigas que moram nas salsichas:

1. Alguma de voces conhece bons blogs das salsichas, ou seja, em alemao?
2. Quando usar 'an' e quando 'auf'? Nao é a mesma coisa?
3. Aqui neste país existe manteiga como a nossa, ou seja, com sal? Sim, faz mal à saúde mas é um daqueles pecados irresistíveis numa tarde de domingo, com pao quente a sair do forno.
4. Estao boas? Essa saudinha?

pra estes lados diz que está frio

A minha rua ontem a meio da tarde

quinta-feira, janeiro 25, 2007

os meus marretas

Eles sao os meus amigos one click-away. Sao a minha companhia quando os outros meninos nao querem brincar comigo. Aqueles que estao mesmo quando nao estao. Que nunca abandonam a sandbox, que é como quem diz, a mailbox. Sao as unicas pessoas que me mandam mails cujo conteudo pode ser ehehehehe ou porca e ter mil significados. Gostava de deixar aqui claro que tou um bocado farta de mais so com eheheh, ja agora. Já que perguntam...
Tem dias em que um de nós pouco ou nada escreve e só tem tempo para um cheguei agora mas ja vou sair, que é como quem diz nao tenho tempo para as vossas merd... hoje. Sao aqueles amigos que queremos ter sempre sentados no tasco ali da esquina à nossa espera. Aqueles amigos que nos contam como conseguiram que o homem da tvcabo lhes pusesse aquilo a funcionar. Com quem podemos falar de assuntos desde cueca, baton, idas aos saldos, dores do período ou do coracao e até mesmo ó-que-esta-tao-frio. Podemos partir-lhes a cama que eles nao ficam tristes, tocar-lhes à campaínha as cinco da manha bebedos, cuspir-lhes o café para a camisola nova na estacao de servico, podemos convida-los a vir até cá um milhao de vezes e eles prometerem mas nao virem nunca, que tambem nao ficamos chateados. Podemos enganar-nos e pedir pra eles nos levarem de carro ao Cais do Sodré, quando queríamos era ir para Carnide, que eles tambem nao se chateiam. E riem-se connosco sem achar piada. (isto nao é bem verdade, mas aqui fica bem)Até pedem desculpa por nao terem prestado atencao. Podemos compreender que elas nao o largam porque ele tem mel e que ela tem a copa mais jeitosa da margem sul. Se for preciso, a gente mostra já aqui. Podemos falar sobre o monstro das bolachas que é como quem diz, do chefe dela que lhe come as bolachas, e escrever uns aos outros o que comemos ao almoco. E dizer quando achámos mal ele ter comido uma chamuca outra vez ou dez kilos de camarao. Ele nao volta a fazer. Ou como viemos vestidos. Como sao os collants. Ela hoje vem de cueca brasileira, ele hoje nao pos cueca de todo porque está nos trópicos.
Portanto, quem diz que à distancia nao funciona está a mentir!
Pra ser perfeito, só faltava mesmo ele ser gay e andar rodeado de amigos bonitos por dentro.
a foto é original: ele com pouco cabelo, ela com madeixas vermelhas.

Nao se metam com as minorias

Entao diz que o Big Brother no UK tem dado que falar por questoes de racismo. Bom, a mim está-me é a cheirar que alguém vai querer ganhar no papel de coitada. E como vivemos num mundo onde o politicamente correcto é importante, ah pois.. eu aposto já na Shetty para ganhar! Alguem que depois me diga se acertei!
Abaixo o Bollywood.

saia uma vénia

Adoro, adoro, adoro quando leio posts inteligentes de pessoas que retratam outras duma forma mordaz mas tao, tao verdadeira! Por isso, o post de eleicao de hoje vai para a Sofia Vieira, cuja escrita é de chorar por mais.


e ja agora, sob uma outra perspectiva, um post de uma pessoa linda. Todos lhe chamam a pequena abelhaaaaa.....

quarta-feira, janeiro 24, 2007

anda uma gaja a tomar ginsana e só se arrasta...placebo é o que é...raisparta a industria farmaceutica...

Alguém conhece o Push Up dos Freestylers (a musica)? Nao estou a ver muitas maozinhas no ar. Ora bem, quem nao conhece claro que vai ja fazer o download. Ou, para aqueles que como eu, passaram a ser inimigos da pirataria, comprar o album. É a música que me ajuda a nao sentar o rabinho no sofá e a mexer-me pela casa fora. A carregar a máquina da roupa, a por a loica na maquina, a passar a ferro, etc. O Push up em repeat é aquela musica que dá pra tudo, inclusivamente para quando quiserem.... hmm... pois perdi-me. Esquecam. Devia ser meditar.

Hoje vou ver o último episódio da melhor série de 2006 (clicar no video). Na semana passada comprei a segunda série toda. Guardei o ultimo episodio para hoje. Entretanto regressei ao ebay e pus à venda os dvds que lá tinha comprado e a série é tao boa que consegui mais uns euros na venda do que o preco que paguei na altura da compra. A primeira série está a passar em Portugal. Vale a pena. É raríssimo uma série prender-me ao sofá. É que nem o 24, nem CSIs, Lost e tudo.

floribelas todos as tivemos

Deixem-me que vos diga! Eu tambem tive a minha Floribela na minha infancia! Com os mesmos diálogos, o mesmo encanto na voz, a mesma simplicidade e inocencia. Felizmente sem sotaque e que me perdoem os adeptos do portugues deturpado do Porto. Sou contra os u's antes dos o's e da omissao dos v's.
Se housesse DVD's da MINHA Floribela, vos garanto que nem olhava pro preco!

Há lá forma mais bonita de conversar com as amigas?

claras em castelo

A neve chegou em forca. Os alemaes nao se calavam a pedir neve, porque é tao bonito, porque é tao romantico e queremos andar de trenó e fazer batalhas de bolas de neve e tudo e tudo e bla bla bla. Pimba, de ontem pra hoje as ruas alteraram-se de tal forma que nao se distingue passeio de estrada, bem podem estar cadáveres debaixo de tanta neve que ninguem os descobre. O Bola abre as cortinas e diz com um sorriso Finalmente neve, olha pra esta maravilha! Eu abro um olho (só um), levanto-me da cama e desolada, contemplo o lado de fora da janela. A neve cai em flocos em todas as direccoes. Entra-nos inadvertidamente por todos os oríficios possíveis da nossa cabeca, diga-se ouvidos, olhos, boca e nariz. Demora-se o dobro do tempo a chegar a todo o lado. A perneira das calcas fica toda ensopada. Onde está a beleza disto? Hoje trouxe comida para o dia todo, pois nao pretendo colocar os pezinhos do lado de fora da porta até ser mesmo preciso. Se tivesse saco-cama, era minhoca pra dormir na empresa. Até às sete, tenho mantimentos. Tortellini, uma bola de berlim, uma maca e um mars.
Às sete vou à escola de conducao tentar saber se posso fazer exame nos tempos mais próximos, afinal se há alguma vantagem com estas claras em castelo estrada fora, é para me garantir um exame de conducao a 20km/hora! Huuurraaaaaa!

segunda-feira, janeiro 22, 2007

de arrancar os cabelos

Hoje, ao ver os dois 'técnicos' a agarrar nas ferramentas e a sair pela porta do meu quar… da minha casa, tive aquela sensacao de deja vu triste e pior ainda, o feeling de que isto se vai repetir vezes sem fim, ate a porcaria da tvcabo funcionar. Powerbox em ordem, satelite em ordem, técnicos azelhas nada em ordem.. so pode ser! A resposta hoje foi inteligente
- vamos estudar melhor este caso em particular e trocar opinioes, ali aquele prédio em frente pode ser o problema, sabe?
Pois nao sei! A mim apetece-me sempre e atirar-lhes com a caixa das ferramentas à cabeca. Repito sempre a mesma pergunta: mas está milimetricamente nos 30 graus oeste? Ja perceberam que o satelite é o Hispasat?
Salta uma pessoa da cama as sete em ponto para estas cenas. E depois querem que comecemos bem o dia. Especialmente a pensar no preco que esta malta cobra por hora e nada adianta!
Devagar, muito devagar, estou-me a tornar impaciente. Ja abanei a powerbox, pronto, admito. Agarrei naquilo e agitei como se de um yoggi se tratasse. Nada. Normalmente nas discussoes com o Bola, é algo que funciona sempre. Ja tentei inserir o cartao de maneiras diferentes, ou seja, de forma irracional. Mais logo tava a pensar escrever no prato do satélite com um marcador 'hispasat', assim a modos que, só pra ver se ajuda. Já fiz promessas. Estou cansada disto. Porque é que é assim tao dificil instalar a tvcabo no estrangeiro? Agarro-me de pernas e bracos à ideia de que o pessoal que la tem ido a casa nao é competente. Nem quero acreditar que simplesmente nao dá.
Chuif....

quinta-feira, janeiro 18, 2007

Maria Lua

Esta história da Maria Lua ter desaparecido há largas semanas da blogosfera e se lhe ter perdido o rasto, é um mistério para mim. Só me faz lembrar aquele filme A Rede, com a Sandra Bullock. A Maria Lua apagou-se da blogosfera e para muita pena minha, deixou de existir. Se foi uma opcao voluntária? Pois nao sei.
Mas nunca mais ouvi falar dele, ela nunca mais comentou aqui. E o blog dela, entre outros, faz-me falta.

Já nao voltas? É que um dia destes sonhei que tinhas aparecido.
Podias mandar um mail...

wie bitte??

Obrigada a todos os que me desejaram um Feliz Aniversário. Sem dúvida que foi um aniversário que nao esquecerei, juntamente com outro passado nas urgencias dos hospitais da universidade de Coimbra; aquele em crianca quando ninguem veio à minha festa porque houve trovoada e aquele outro que coincidiu com o início da Guerra no Golfo. Eu ouvia falar na Guerra na televisao, via as aguas inundadas de petróleo e as focas e outros animais cobertos com uma película preta. Ao meu lado, tinha o meu hamster recebido no próprio dia, que morreu seis meses depois, num dia de Verao esturricado ao sol. Nicolau, desculpa, esqueci-me de te tirar da varanda. Morreste duro e com os dentes de fora, morto estavas bem feio. Custou-me. Enquanto tu morrias, eu nadava na piscina.

Enfim, sao traumas. Quem nao os tem que levante o braco.
Eu ja estou de braco levantado para contar o próximo. Posso? Posso?
Hoje o meu telefone toca às oito da manha e eu ainda estava a fazer ronha, a fazer de conta que nao tinha de ir trabalhar. É um despertador? Nao? É o Bola a despedir-se? Nao? (porque é que ele se despede se trabalhamos juntos?Vale a pena pensar nisto) É o senhor da tvcabo!!
- Menina Minhoca, estou-lhe ligar para a avisar que vamos aí amanha tratar do satelite.
- Hmmm….ahhh…. sim, mais pra baixo… mostra lá essa nalg... OH!BOM-DIA!! Peco desculpa!!! Acordei agora!! Sim, venham amanha!! Que bom! A que horas?
- Estamos aí por volta das sete, sete e um quarto.
- Da tarde, portanto. Óptimo.
- Da manha, claro!!

Sete e um quarto da manha, parece. Como isto foi numa fase em que a assimilacao por parte do meu cérebro se processa de uma forma parcial, eu sou tentada a acreditar que sonhei e que este telefonema nunca aconteceu. Às sete e um quarto, ainda nem ha claridade suficiente lá fora para vermos o prato do satelite como deve ser. Estes alemaes sao verdadeiros morcegos.

quarta-feira, janeiro 17, 2007

alegremente apanhada

Ontem à noite estava eu com o meu pijama bolorento que acho que ja nao trocava desde as ferias do Natal, enrolada na minha cama ao telefone, a debater assuntos daqueles que sao importantes para a Humanidade. Usar ou nao amaciador para o cabelo. E para a roupa? E para o coracao?
A paginas tantas comecei a ficar irritada com o Bola que insistia em me manter acordada e sempre preparada pra responder a perguntas irrelevantes a uma hora tao tardia. Depois de me ter interrompido a conversa com perguntas interessantes como preciso de pilhas (medo, prenda de anos A PILHAS?? ) ou tens horas?’ , entrou mais uma vez no quarto, dizendo-me que fosse à porta ver uma coisa.
- Mas nao vais com esses leggings pirosos.
- Pardon? É o meu pijama, ó alho.
- Mas nao é muito decente, pareces aqueles nacos que os espanhóis fumam e penduram nas lojas e com um aspec... adiante, veste as calcas se nao te importas.

Eu rebolo para um dos lados da cama a dizer palavroes em frances (é fino) e penso anda lá, minhoca, abana o traseiro que hoje ja recebeste 27 rosas, deve estar ali o vizinho a querer dar-me os parabens ou com um porta-chaves novo,já que o cao dele comeu a minha mini-ovelha na semana passada. Ou quem sabe nu coberto de chant... Nao. com uma cerej... Nao.

Quando chego à porta, qual nao foi o meu espanto quando como que chegado atraves dum nevoeiro vejo, nao o D. Sebastiao mas o meu Pai de máquina fotográfica na mao, armado em candy camera. O meu cérebro nao estava a acompanhar, confesso. Entao, mas ele nao sabe onde eu moro. Entao, mas ele estava em casa hoje, a 3000 km. Parece que afinal nao.
Gostei muito, nunca me tinham feito uma surpresa destas. Chuif… Nunca pensei que tal pudesse ser organizado nas minhas costas, com uma legiao inteira conhecedora do doce crime, eu desconfiada que sou quando vejo uma sombra atrás de mim, sendo que na maioria dos casos é a minha. Bola e Pai em segredos há meses e eu sem saber. Qualquer dia quem diz Pai diz amante.
Na cozinha.
Minhoca: Ah pois… agora percebo porque é que ele andava tao agarrado ao telemovel ultimamente.
Pai da Minhoca: Mas nós nao comunicámos por telemovel… ora bem..hmmm... o sal, onde está?
Quem diz sal, diz rolo da massa. Ou faca eléctrica?
Aquele meu princípio de que nao cusco o telemovel do meu companheiro é um princípio a ser quebrado muito brevemente. Sem que a consciencia pese.
As unicas duas coisas chatas que esta surpresa teve foi o facto de o meu Pai descobrir que eu moro num sistema de armazém, ele iludido a achar que eu sou arrumadinha, ou seja, as coisas sao empilhadas seja em que sitio for e sem critério. E matéria para reciclagem tende a aparecer atrás de todas as portas.
Atrás das portas podiam era aparecer dias de ferias em sistema short notice. Hoje nao posso de todo sair mais cedo e sexta posso mas so uma hora ou duas. A ver vamos.
Tenho de levar o meu Pai a passear a sítios giros, para ele nao ir para casa a dizer como o meu irmao que em Weiden as pessoas sao todas feias.

Mae, ainda olhei para porta uns segundos à espera que entrasses tambem. Sabes que mais? REFORMA-TE! Manda o ministério da educacao... a um sítio pouco bonito.

terça-feira, janeiro 16, 2007

alemas a falar pelos cotovelos - porque tambem as há

Hoje fui fazer um teste rapido aos olhos para apresentar com os outros documentos e tres ordenados ilíquidos, para requerimento da carta de conducao. A senhora da óptica:
- Que giro! A minha filha tambem se chama Minhoca *, eu quando a tive andava farta destes nomes horrorosos que se veem por aqui, Lea, Hannah, etc. Portanto, quando vi Minhoca, achei tao lindo, por ser um nome típico dos países mais do sul. E com C tambem e nao K. Que horror, escrever um nome tao giro com K, nao é?

Cinhoca, portanto.
* tenta-se sempre salvar o nome real, eu que faco tudo pra me esconder atrás destas páginas, é sabido.

mail para o Icaro

Nao é a 19 nem a 14, é amanha. Se te esqueces, levas uma chapada virtual. Nao adianta dizeres que estas longe. É importante pra emigra!
O Icaro é o mano e vai-me cantar os parabens ao telefone no seu sax.

miminios

Estamos a ver um DVD, toca o telefone e é o amigo do Bola, nosso padrinho de casamento. É de perturbar um monge em cativeiro a alegria com que o Bola, que aterrou no sofa com o ar de quem passou o dia a fazer maratonas ou a levar porrada e nao sentado num escritório, fala com o amigo. Esta batata mole que estava ali ao meu lado no sofá de olhos semi-cerrados e que hoje pouco falou comigo, desperta completamente e ri-se ao telefone como se do outro lado da linha estivesse o palhaco Batatinha. (estamos na semana tematica da batata) Fico perplexa e mando-lhe dois chapadoes para ele se comportar. Nao dou nada. Eu sou doce, muito até. E como hoje recebi flores, nao há violencia. Nao bato mais em magrinhos. Hoje enquanto eu fazia a minha sopa de ervilhas de estalar, o Bola dizia-me na cozinha que amanha vai ter formacao (eu ja sabia), vai ter um dia muito ocupado (eu ja sabia) e que apesar de serem os meus anos, tudo o que ele tem para amanha é inadiável (tambem ja sabia). Depois desapareceu e fez algo que eu eu nao sabia. Sacou assim do nada um ramo com 27 (o 19 era para vos baralhar, foi uma idade fixe) rosas, que segundo ele nao podiam esperar até amanha.
E assim se garante uma noite cheia de paz e miminhos. Ou, como ele aprendeu recentemente a dizer miminios.
Apesar de eu estar relativamente bem-disposta, se me falam mais em tvcabo atiro-me da varanda. Ainda nao funciona.

listinha

Entretanto, como sou mesmo invísivel, elaborei uma pequena lista de coisas para fazer nesta manha, em que sou obrigada a estar em casa sem um propósito definido para além de nao-vais-deixar-os-homens-sozinhos-a-montar-aquilo!
- pintar as unhas
- actualizar os blogs que nao leio e talvez adicionar os links de mais uns quantos
- preparar a aula de logo. Como ensinar o simple past do verbo ser, sem que os meus alunos digam ' I vas'.
- fazer a cama. Ainda se faz a cama nestes dias ou ja se tornou exagero?
- dar umas voltas no montinho (inho??) da roupa pra passar e tentar que pareca razoavel
- procurar uma receita de bolos de arroz e imprimir folhas a dizer 'Bolo de arroz' para ser mesmo original. Talvez também 'desde 1896' para dar um ar mesmo 'caseiro'.

Ai que me vou divertir buézes, nao é assim que voces agora dizem?

tvcabo para os meus anos, será?

Se tudo correr bem, esta noite ja vejo as notícias no canal 1. Estao aqui dois senhores daqueles que aparecem de madrugada para vir fazer trabalhos a casa das pessoas. Nao sao prostitutos. Tambem veem com roupa especial, de macacao azul e com uma mala cheia de coisas giras, que fariam as delícias de qualquer crianca em idade-legos-pinypon.
É bom ser mulher em ocasioes destas, pois circulo pela casa como se fosse invisível. Eles, quando precisam de qualquer coisa ou fazem perguntas, chamam pelo Sr. Bola. E eu, no meu papel de esposa, que quando muito, poderia oferecer algo para beber, circunscrevo-me ao meu ilustre lugar, longe das ferramentas e da técnica. Quando chegar a parte da Powerbox, como aquilo ta tudo em portugues, vem tudo ter comigo e eu vou dizer que nao percebo nada. Ou entao, entro naquele sonho maravilhoso em que o Bola agarra no manual da powerbox e comeca a decifrar aquilo, como se falasse portugues desde que nasceu. Enfim... eu e a minha muito viva mente de ally mcbeal.
Entretanto, o Bola teve de ir comprar um braco para enfiar o satélite na parede e ligou ha coisa de minutos.
- Importas-te de me passar o Sr. Antena Parabólica?
- Sim, mas diz la o que é... nao encontraste?
- Deixa-me falar primeiro com ele, porque ele sabe o que eu lhe quero perguntar.

E mais nada. Toma lá, Minhoca, vai sim abrir duas garrafas de cerveja pros senhores e nao atrapalhes. Ja nao basta nao ires trabalhar enquanto finges que estás a ser útil. Pelo menos, se, entao de facto util. O Sr. Antena Parabólica nao quer beber nada. Diz-me antes que eu falo muito bem alemao. Pelo meio da conversa comigo, da umas ordens ao seu assistente e eu ia jurar que o o assistente percebe tanto de parabólicas como eu. Além disso, parece que furou a parede la fora no local errado. Este dia comeca lindamente.
Quanto à parte de ir abrir duas garrafas de cerveja, eu juro que ia mesmo, mas o Bola olhou-me com os seus olhos de pessoa séria e perguntou-me se eu tava a gozar. Mas a minha mae sempre ofereceu cerveja aos homens quando la iam a casa e... amendoas e uns calices aos senhores Padres na visita Pascal e... nao. Ele está escandalizado. Ele diz que por ca nem pensar oferecer cerveja à malta em servico. Este nao é o meu Bola!

segunda-feira, janeiro 15, 2007

mudar de emprego

Vantagens:

- Salvar tantos (?) anos (?) de casamento. A convivencia diaria com o Bola é gira, mas desnecessaria.
- dar um abanao no meu cérebro e dizer-lhe que pode vir dar um ar da sua graca
- por em pratica a minha lingua materna, que qualquer dia esqueco com tantos deves DE e etc. (ainda nao me esqueci das armas e os baroes assassinados -> va, nao gozem)
- a minha auto-estima levanta-se e deixa de se consumir perante o facto de o Bola ter tido um desenvolvimento mais risonho aqui do que eu. A dura verdade.
- Lufada de ar fresco, mais gente da minha idade.
- Empresa onde a língua oficial é o ingles.
- Comecar logo por cima, em vez de aceitar o que me propoem, ser mais combativa e valorizar-me (ninguem nasce ensinado, nao é verdade… )

Desvantagens:

- Ter de me deslocar diariamente alguns km de casa -> custos adicionais
- Eventualmente nao ter tantos tempos mortos e pausinhas para café
- Acabam-se os mails vai ter à sala das reunioes para darmos uns beijos.
- eventualmente, incompatibilidade com o meu curso de ingles.

Ainda antes de saber as condicoes, ja me apraz ver mais vantagens do que desvantagens. Se isto se está a tornar numa obsessao? Nao. Claro que nao. Ainda nao me fecho no quarto no escuro, nao choro, nem tento cortar os pulsos. Mas...chuif.... chuif... queria tanto um emprego novo.

quem adivinhar a idade da Minhoca ganha um kit minhoca para a chuva

Ora bem, a poucos dias (17) da entrevista de emprego que vai salvar o meu casamento, convem ir-me preparando para dizer aquelas frases bonitas que ficam sempre bem, das quais procuro novos desafios é campea. Só fui a duas entrevistas para dois empregos a sério. Duma das vezes queria muito, acabei por nao ficar e mais tarde até suspirei de alivio. Da segunda vez, nao correu muito bem porque eu nao queria muito, mas depois de me dizerem que sim, descobri que afinal até queria. E daqui mais nao saí. Até agora, espero.
Daqui a dois dias faco anos (19), um emprego novo foi o que pedi às estrelas de prenda. Ao Bola pedi para me fazer um jantar especial, ao que ele respondeu que nao, pois nesse dia tem formacao. Chuif. Entao eu falto à aula de código e só deus sabe o que me custa nao ir, pois é fantástico, pra chegar a casa, acender uma vela num bolo de arroz e cantar parabens a voce, a mim mesma?? Assim nao. É que nem a parte do bolo de arroz se concretiza, pois aqui o mais aproximado disso sao uns muffins ranhosos, com manteiga suficiente para alimentar tres familias dum país de terceiro mundo durante tres semanas. Portanto, acho que vou passar a tarde dos meus anos nos saldos e a comer porcarias. Aha! Apanhei-vos. Nao vou nada. O meu hobby de momento (?) é esticada na cama a fazer testes do código da estrada e a aprender preciosidades como os sinais de transito. Falem-me de física quantica, eu falo-vos do código da estrada.
Nao se esquecam de me dar os parabens. Caso contrário, entro em depressao.
E pra isso já bastavam aquelas festas de aniversário quando eu era crianca, em que devido ao mau tempo, ninguem aparecia. Eu era uma crianca muito querida.

sexta-feira, janeiro 12, 2007

Ida à Rathaus

Quando faco a minha pausa para o almoco antes do meio-dia, sinto que o dia demora sempre muito mais a acabar. Pelo menos, enquanto tenho o meu bolorento rabo sentado aqui no trabalho. Bem... orgulhosa que estou desta conclusao brilhante.
Mas hoje tive de ir à camara municipal e ir à camara municipal numa sexta-feira neste país é como querer desafiar as leias da gravidade, ou seja, pouco recomendado. Mas eu tinha de ir entregar os papeis para a carta de conducao. Pois o meu instructor explicou-me:
Como é que te vou propor para exame se as pessoas da Camara nem sequer te conhecem? Aí, eu pensei em replicar que nem eu me conheco, mas baralhar velhinhos dá direito a prisao, ouvi dizer.
Neste país, o controlo é permanente. Isto de termos de nos registar na camara, a casa onde vivemos, o numero de assoalhadas e quantas vezes fazemos xixi, é perturbador. Hoje o problema foi o facto de eu, no formulario da escola de conducao ter o meu ultimo apelido. Ora, na Alemanha só ha um apelido. Pelo menos, só um vale como tal. Na camara eles teem os dois apelidos, que confusao meu Deus! Será a mesma pessoa, lia eu nas caras deles. Que duvida...Ficaram tao baralhados por eu explicar que tinha 4 nomes que tiveram que fazer telefonemas e abanar a cabeca umas quantas vezes. Antes disso, tentei fazer um teste de visao rapido, que tinha de levar como comprovativo por usar lentes de contacto. Burra. Se nao tivesse falado nas lentes, ninguem dava conta. Nao pode, tem que trazer o passaporte. Ainda quis perguntar se saliva chegava pra me reconhecerem ou um pouco de cabelo, mas sorri e tentei pensar no meu fim-de-semana. Outra ideia seria colocarem-me um chip no cérebro com uma pistola, narinas acima.
- Entao e o curso de socorrismo? - perguntaram-me na camara depois de eu explicar que o teste de visao so o posso entregar na segunda-feira. A minha resposta foi linda e cheia de emocao:
- Estou ansiosa por fazer! Já comprei uma caixa de pensos de marca. Hansaplast! Claro que a tipa nao tem humor e nem os cantos da boca moveu. Estupida. Daqui a uns anos o humor passa a ser a pagar e aí quero ver... vai andar tudo a pedinchar. E eu cobro 3 euros por piada, ja tenho orcamento.
Bom, saí da camara municipal meia hora depois, mais pobre, claro. Mas contente, por ter conseguido ser atendida numa sexta-feira, dia em que todos os alemaes do servico publico fingem que já é sábado. Prost! Cheers!

ta quase

- Entao, logo vemo-nos de novo às cinco e meia à porta de tua casa.

Foi assim que o meu instructor de conducao se despediu de mim hoje às nove menos um quarto da manha. Que querido. Pra semana ja vou ter de lhe dizer que por muito que ele goste de me levar a passear, convem espacarmos estes passeios antes de eu fazer o exame teorico. Esta manha, atrasei-me cinco minutes e quando cheguei à porta do trabalho, estava o velhote perante uma das janelas do edificio a fazer sinais com os bracos a uma das minhas colegas. Ela adorou ter um avozinho a flirtar com ela e nao quis acreditar quando eu lhe disse que ele a confundiu comigo. Acha que somos irmas. Fogo… ela nao é gira. Depois deste nao-elogio, durante a aula achei que só pra assustar devia travar a fundo e acelerar de repente só pra ele nao voltar a dizer blasfémias que causam mossas na minha auto-estima. Irmas... pfff.... só se for de cuspe.

Mal posso esperar que cheguem hoje as cinco da tarde, quando dou de frosques daqui e entro em fim-de-semana. Esta semana tenho andado toda rebentada. Em casa, circulo de passagem sempre em direccao à minha cama. Nao páro em mais lado nenhum. Nem o computador ligo e isto ja podia ser um sinal de depressao, meus amigos. O que eu quero mesmo é passar um fim-de-semana como a bridget aqui na foto. Se o Colin Firth nao puder aparecer, entao o lado direito da cama pode ser como de costume, para ti, Bola.

quinta-feira, janeiro 11, 2007

socorro

Esta semana tem sido cheia de manhas enérgicas. Enérgica porque depois de duas semanas de ferias, comecar a semana sempre ocupada até às sete, da-me cabo do coiro, claro. E logo com conducao pelo ar fresco da manha. Eu nunca fui amiga do ar fresco da manha. Durante a manha, prefiro sempre o ar a mofo dos meus lencois. Mas só até às duas da tarde.
Ora hoje o instructor perguntou-me se eu ja tinha o curso de primeiros-socorros. Eu tentei explicar-lhe que nao adianta eu fazer o curso (um dia inteiro), pois caso haja um acidente e seja preciso eu ajudar, eu sou daquelas que perante alguem a precisar de socorros imediatos, se senta à beira da estrada a mandar sms. Sempre achei que a melhor forma de socorrer alguem na estrada é dar um par de estalos bem dado, daqueles que deixam a marca dos anéis e tudo.
Vai daí, chego ao trabalho e ligo pra casa:
- Bolaaaaaa! Olha la, tu nao tens aquele certificado que te permite instruir terceiros em socorrismo?

- Nao sei onde isso anda. Mas nao sei se posso. Alem disso, nao te treinava, tu nao ias levar uma coisa dessas a sério.
Que rebelde que estamos depois de casar.

Se ele se esta a referir à parte de insuflar a boneca da sex-shop com ar e depois carregar-lhe no peito, nao, nao ia levar a coisa a serio. Toda a gente sabe que essas bonecas nao falam. Pra que o desperdicio?
Com esta porcaria do socorrismo, o meu exame teórico atrasa duas semanas. Mas quem disse que eu estava com pressa? Pressa mesmo só pra arranjar um emprego novo. Devido a mudancas internas de ordem logística, o Bola mudou de secretária e agora está a uns míseros 10 metros de mim. É muito amor, mas nao dá pra tanto. Isto é insuportável. Especialmente porque eu vejo parte do monitor dele (ele nao sabe) e ja me estou a preparar para lhe atirar com o meu termos de chá a ferver, da proxima vez que alguem lhe mandar um mail com o novo calendario Pirelli em attachment. La no fundo, acredito que ele apague o mail sem abrir.

quarta-feira, janeiro 10, 2007

escuta, escuta

E daquela vez que ela, que gostava tanto de ouvir o gás nas bebidas, agitou uma garrafa de coca-cola e pos o ouvido no gargalo e apanhou com coca-cola pela orelha toda fora? Naaaa…. Nao fui eu. Foi uma pessoa amiga. Nao é isso que dizemos todos? Vamos à farmacia comprar preservativos, testes de gravidez ou pomada para as hemorroidas mas nunca é pra nós. É sempre uma amiga ou amiga da amiga da amiga da… ok. Talvez nao signifique muito se eu agora escrever que nunca fui à farmacia comprar nada disto, normalmente o meu limite é o canesten (sem aplicador).
Pois bem, hoje entusiasmei-me com a coca-cola. Decidi passar o dia a cafeína que é como quem diz, na coca, tal é a minha motivacao pra trabalhar. E a dada altura, estava tao ocupada que dei comigo a olhar para a minha garrafa de meio-litro e pus-me com brincadeiras. O trabalho vai empilhando, mas nao me apetece. Alem disso, ainda estou em choque por hoje, na aula de conducao ter trocado a esquerda com a direita. Tantas piadas que ja ouvi sobre mulheres que trocam a esquerda e a direita e eu hoje passei uma hora a fazer o mesmo. Mas porque, meu Deus? Ja nao bastam os defeitos que tenho? E logo eu que conduzo tao bem…

terça-feira, janeiro 09, 2007

diz que foram boas

As minhas ferias... podiam-se editar dois volumes, como se de um livro se tratasse. Minhoca na Terra-mae, Minhoca e o Comunismo. Minhoca e as Madrioskas. Minhoca e os Ovos Moles.
A preparacao das ferias foi caotica, como sempre. O Bola nao queria acreditar que eu estava a falar a serio, quando lhe dizia que uma das minhas prendas para levar era uma uma mala dura, e que tinha de ir dentro de outra mala. Da dele. Acalmei-o. Dei-lhe um copo com uma pastilha efervescente e disse-lhe:
- Vai haver alturas na vida em que eu te vou pedir mais coisas que nao fazem muito sentido, mas podes faze-las sem as questionares, so pra me fazeres feliz?
Entretanto, devido à pastilha efervescente, ele acabou por adormecer e eu aproveitei pra lhe dizer que em 2007 me ia tornar numa pessoa muito melhor, mais razoavel, mais meiga, mais eu. Nao tenho a certeza se ele terá assimilado, mas tá dito.

Fazer a mala é outra coisa que eu ainda nao aprendi a fazer. Só levei dois pares de calcas e dois pares de botas. Em Portugal, ainda pude andar com a minha saia da Floribela. Mas nas terras dos czares nem me atrevi a expor as minhas sensiveis pernas a temperaturas que eu julgava serem mais agressivas. Andei com collants de la por dentro das calcas, mas se nao as tivesse posto nao acho que tivesse enregelado. Andei, portanto a trocar de calcas em sistema dia sim, dia nao. O que nao foi muito bom para as fotografias.
A comida russa nao está má. Gostei dos Strogonofs, do Mors que é uma bebida a que eu chamaria de sumo mas nao me deixam. O mors é nectar de bagas. Nao me atirem pedras por eu nao saber como se diz cranberries em portugues, esta bem? Funcionar diariamente em quatro linguas baralha-me, só me lembro da Boneca Mecanica, aquele filme da minha infancia. Mas vou por-me ali virada pro quadro a pensar na palavra cranberries e so volto quando souber.
Tambem gostei duns chocolates recheados com iogurte e das sopas. Gostei dos monumentos, gostei das cores que tentam combater os constantes tons cinza. Adorei os quiosques de flores e de tudo e mais alguma coisa, como em nossos. Revistas, tabaco, prendas, chiclas, etc, etc.

Quando for grande quero ter um quiosque!

assim se matam fantasias

Saio da escola de conducao para a rua chuvosa e a caminho de casa, ligo ao Bola:

- Ja tou a caminho de casa. Tas a fazer o jantar?
Bola : Tou, quer dizer, ja ta pronto.
- Entao, despe-te. Va la. Esperas por mim só de avental. É um sonho antigo.
- (silencio)
- BOLA! Acorda, man! Ouviste o que eu disse?
- Espera…espera… espera….. os simpsons estavam mesmo a acabar. Entao, dizias tu…?
- DESPE-TE. Vais esperar por mim so de avental.
- Nao vai dar. Primeiro, nao temos avental, tu nao usas e eu tambem nao. Segundo, estou com arrepios, constipei-me por ter vindo à chuva para casa.

Humpf.

segunda-feira, janeiro 08, 2007

alegre regresso

Que saudades que eu nao tinha do trabalho. Que saudades que eu nao tinha de ir ao pao e nao ver la nada de jeito que me acalme o apetite. Um dia destes armo-me em parva e peco mesmo um galao e uma tosta mista, pra ver a cara de parva da tipa. Um bem-hajam às pastelarias de Portugal, de tao formosas que sao.

Ora bem, achei melhor nao colocar aqui as minhas Resolucoes para 2007. Acho importante chegado o final do ano fazer um balanco de como este ultimo ano correu, o que se pode melhorar, etc. Mas muitas das minhas Resolucoes sao pouco realistas.
Eu e o Bola fizemos um plano de poupanca ontem ao pequeno-almoco. Selamos o nosso acordo com um aperto de mao bonito e verdadeiro. Comprometemo-nos a colocar mensalmente uma quantia aceitavel na poupanca, para em Janeiro do ano que vem irmos 3 semanas para a India como ja ha tanto tempo andamos a planear.
Preciso de mudar de emprego. Pode nao ser para ja, mas é um objectivo que pretendo cumprir a curto, medio prazo. Preciso de me valorizar e deixar de me sujeitar à sorte.
Preciso de adquirir habitos alimentares, comer sempre às mesmas horas e cortar nos hidratos de carbonos. O que aqui nao é facil, pois comida saudavel num raio de 3km nao ha. E nao sou propriamente a fada do lar que prepara o almoco no dia anterior. Mas tambem nao sou a croma que aceita arroz doce na cantina aqui perto, como almoco.
Preciso de passar no exame de conducao.
Preciso de me mentalizar que se quero ter um filho, que tenha o primeiro antes dos 30. Parir... que horror!
Pronto, e sao estas coisas… ja estou de novo entre vos, ponham a Maria de lado, sim?

quinta-feira, janeiro 04, 2007

tensao pre-menstrual

Tou um bocadinho moida, ah pois tou. Ver titulo. Esta dor fininha a querer estragar o meu ultimo dia aqui pra lados da antiga uniao sovietica. Mas nao vale a pena deprimir-me. Pois ibuprofeno esta ca pra ajudar, os pensos Reglex ja nao existem para nos deixar com muito medo, especialmente antes das aulas de educacao fisica, em que olhavamos quinhentas vezes pros nossos calcoes brancos atleticos, com medo que eles se transformassem na camisa do Harrison Ford depois de ter sido alvejado. Sou uma pessoa muito cinematografica.
Razoes pra estar contente (perguntem-me)? Ora bem, eu nao ia dizer mas vi tantas maos no ar... primeiro, porque me estou a preparar para ir estourar a minha mesada (?), leia-se rublos que nao gastei, em bijuteria de semi pedras preciosas. Ambar, portanto. Segundo, ontem telefonaram-me da empresa number 1 para a qual me candidatei espontaneamente. Ja tenho entrevista marcada. Comeco a acreditar no horoscopo, que gentilmente faz saber que 2007 sera um ano de desafios profissionais. Ate pra emigrantes como eu. Desesperadas por nao trabalhar a 20 metos do seu mais que tudo.
Daqui a duas semanas faco 27 anos. Ha uns anos olhava pras pessoas de 27 e achava-as velhas. Nao sei que pensar, estou em conflito. Em todo o caso, rugas ainda nao ha.
Amanha volto pra casa, o que significa fim de ferias, mas nao ha nada como a sensacao de voltar a nossa casa. A minha cama, ao meu sofa. Aos livros de ingles, aos exercicios do codigo. Aos tachos e panelas.
Nao percam dentro de dias o post com as minhas resolucoes para 2007. Nao podia faltar.

segunda-feira, janeiro 01, 2007

post sem acentos

Um post que se poderia chamar Carlos Fino (pausa) RTP (pausa) Moscovo (pausa). Tantos anos que ouvi isto na televisao, o nosso Carlos reporter aqui por terras da Anastacia com as suas reportagens de costas para o Kremlin.
Moscovo e uma cidade linda, especialmente by night. As temperaturas nao estao tao agressivas como eu pensava. Hoje estiveram cinco graus durante o dia, ou seja, ate as tres e meia da tarde. Saio pra rua artilhada, que mais pareco um pinguim, e afinal frio, frio...nem senti-lo. Este frio e pra meninos!
Anoitece cedo, parece mais tarde do que realmente e. Como as temperaturas nao conseguem manter a neve, as ruas estao sujas devido ao pure de gelo e porcaria, o que estraga roupa e sapatos, mas nao e por ai que vou ja embora a dizer mal disto tudo. Nada disso.
Os moscovitas sao gente boa e os homens parecidos com os nossos portugueses. Elas nem por isso, nao ha mto meio termo, ou sao feias ou muito bonitas como as madrioskas. Os moscovitas amam o telemovel como os portugueses, tiram muitos fotos e mandam sms constantemente. Adoram andar no consumo. Ta tudo aberto 7 dias por semana. Yuuupiiiiiiiiiii!
Tem sido bom encontrar-me com o legado de gente tao minha conhecida dos livros de história, Lenine, Estaline, Trotsky, Dostojevksi (?)...etc. Da Anastacia ninguem fala, nem a conhecem. A filha do czar que sobreviveu ao massacre, conta a lenda. La esta a Disney a distorcer-nos a realidade. Como fizeram com a Bela e o Monstro. Com a Pequena Sereia, etc. Ariel so pra maquina.
Ainda nao tenho o meu chapeu de Dr. Jivago, mas estou no bom caminho. O meu monumento preferido, lindo, lindo e a basilica colorida que todos conhecemos dos postais. Ainda nao entrei la, mas faco questao.
O meu fim de ano foi passado rodeada de limusinas, pois e como a burguesia de ca gosta de passar a ultima hora do ano. Dentro duma limusina de 10 metros com umas meninas la dentro bonitas, que costumam estar a fumar a beira da estrada. Disse-me o Bola. Como ele ja aqui morou, optei por nao fazer mais perguntas. Pra que tanta informacao? O meu casamento e indissoluvel.
Fogo de artificio deve ser onde se gasta o produto interno bruto. Temos antes, durante e depois da meia-noite. O suficiciente para cobrir temporariamente o ceu todo.
Estou a gostar, portanto, apesar de nao perceber nada do que leio. Ja aprendi a ler, agora estou na fase da interpretacao. Onde eu sou realmente boa!!